Desde 1975 levando vida para todos.

Alimento diário


Semana 6 - Thursday


SÉRIE: A Ideia Central das Epístolas de Paulo
MENSAGEM: 22: Perdoai-vos uns aos outros ? (Ef 4:32; Cl 3:13-14)
Leitura bíblica:
Ef 4:1-6, 31-32
Ler com oração:

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem (Ef 4:29).


A UNIDADE DO ESPÍRITO NO VÍNCULO DA PAZ

Como é possível manter a unidade da igreja se nós, seres humanos, somos tão diferentes, tão cheios de preconceitos e peculiaridades? Sem dúvida, a unidade não é possível pela vida natural do homem, pois sua natureza é facciosa.
Efésios 4:1-3 diz: “Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”. Para que sejamos edificados com os irmãos, precisamos andar de modo digno do chamamento a que fomos chamados por Deus. Isso requer de nós toda humildade e mansidão, suportando-nos uns aos outros em amor. O ato de suportar não significa meramente aguentar o convívio de quem quer que seja. Suportar, no contexto de Efésios, deve ser interpretado como o ato de sustentar em oração, porque somos membros do mesmo corpo. Se os irmãos não forem ajudados, o Corpo de Cristo será prejudicado. O Senhor anela que sejamos a base, o suporte, o apoio para aqueles cujo cuidado Ele nos confiar.
Além disso, para termos a unidade nessa edificação, precisamos ver que isso só é possível pelo Espírito. Devemos empenhar-nos ao máximo para preservar a unidade que o Espírito Santo estabeleceu e manter a paz entre nós. Desse modo, nosso testemunho cristão terá impacto e Deus poderá ter uma expressão adequada entre os homens.
A prática da edificação entre pessoas tão diferentes só é possível porque vemos que somos um só Corpo. Isso é possível porque há um só Espírito. Há uma só esperança, que na verdade é uma viva esperança! Nossa esperança é crescermos na vida divina para sermos transformados e edificados juntamente com os irmãos. Há um só Senhor. Você não tem um senhor e eu outro. Não sou seu senhor e você não é meu senhor; só temos um Senhor! Temos uma só fé, isto é, cremos no mesmo conteúdo da Palavra de Deus. Temos um só batismo e um só Deus e Pai de todos! Ele é sobre todos e está em todos. Isso significa que Deus tem soberania para fazer qualquer arranjo entre nós. Somos Seus filhos, temos Sua vida, e Ele tem autonomia para nos edificar. Ele tem poder para agir por meio de nós, desfazendo todo tipo de inimizade e contendas (Ef 4:4-6).
A edificação do Corpo de Cristo não é feita somente pelos irmãos que estão à nossa frente. Os cooperadores da obra têm suas funções, porém, quando cada um de nós contribui com sua parte para o relacionamento saudável da igreja, o crescimento espiritual e sua edificação ocorrerá espontaneamente.
Em termos práticos, para que sejamos edificados, Paulo nos adverte sobre nossos sentimentos e maneira de falar: “Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou” (Ef 4:31-32). Todos somos sujeitos a erros e fracassos. Mas não pensemos mal do irmão que errou, pois, se essa for nossa conduta, a edificação do Corpo será paralisada. Sejamos pacificadores, aqueles que repelem fofocas e críticas, rejeitando maledicências.
Quando aprendemos a viver na presença de Deus, consideraremos até o que vamos dizer. Simplesmente não abriremos as comportas do coração corrupto e egoísta para verter palavras frívolas. Busque o Senhor antes de levantar qualquer questão ou reagir contra qualquer situação para ver se o assunto que vai desenvolver não está dentro da lista dos assuntos insensatos e absurdos. Invoque antes e, se for o caso, rejeite seus pensamentos e não insista em sua opinião.
Todos queremos edificar o Corpo de Cristo. Por isso precisamos ter paciência com os irmãos, ser compassivos, benignos, enfatizar sempre o lado positivo deles, e não ser especialistas em falar o lado negativo dos irmãos. Todos temos os dois lados e nenhum de nós é perfeito. Se só olharmos o lado negativo uns dos outros, nunca teremos parte na edificação. Vamos exercitar as virtudes de ser benignos, compassivos, pacificadores. Que saiam da nossa boca somente palavras para a edificação (Ef 4:29).
 


Ponto-chave:

Ser pacificadores, repelir as fofocas e críticas.

Pergunta:

Como pessoas tão diferentes podem ser uma e serem edificadas?

 

Leitura de apoio:

“A igreja desejável” – caps. 9, 11, 13 – Dong Yu Lan.
“Andar segundo a vontade de Deus” – cap. 1 – Dong Yu Lan.
“Venha o Teu reino” – cap. 30 – Dong Yu Lan.